Balanço da gestão do Instituto de Previdência de Juazeiro aponta crescimento nos rendimentos financeiros e redução de despesas

Início Balanço da gestão do Instituto de Previdência de Juazeiro aponta crescimento nos rendimentos financeiros e redução de despesas
IPJ
O Instituto de Previdência de Juazeiro (IPJ) apresentou um balanço com resultados positivos da administração no primeiro semestre de 2021. O destaque vai para o valor de R$ 4,8 milhões em rendimentos acumulados entre os meses de janeiro e maio.

O instituto conseguiu driblar a crise econômica e financeira do país realocando recursos para fundos mais seguros e rentáveis. Apenas no mês de maio, a lucratividade foi de quase R$ 2 milhões. Atualmente, o IPJ tem um patrimônio de mais de R$ 228 milhões.

Responsabilidade com o dinheiro dos servidores

A economicidade e a gestão eficiente dos recursos têm norteado as ações da gestão do IPJ. A revisão de diversos contratos de prestadores de serviços permitirá uma redução de custos de, aproximadamente, meio milhão de reais por ano.

“O valor poupado poderá ser aplicado e a rentabilidade colaborará com a saúde financeira do IPJ que, consequentemente, trará benefícios aos servidores municipais ativos, aposentados e pensionistas”, explicou o diretor executivo do IPJ, Marcus Onildo.

Qualidade e modernização no atendimento

O IPJ também tomou medidas para oferecer um atendimento mais qualificado aos servidores ativos e inativos do município.
A autarquia conseguiu zerar a fila de espera para perícias médicas, necessárias para a concessão de auxílios doença ou aposentadorias por invalidez.

Os aposentados, pensionistas e servidores também passaram a contar com atendimentos psicológicos no instituto, disponíveis de segunda a sexta-feira.

Também foram feitos investimentos em tecnologia com os lançamentos do site do IPJ e do aplicativo Sicon (Sistema Integrado de Consignação Online). As ferramentas vêm tornando os serviços mais acessíveis e também ajudam a dar mais transparência a todos os dados financeiros e gerenciais.

Texto: Marcela Cavalcanti – Ascom/IPJ/PMJ

Compartilhar